IMG-20160730-WA0020

Ciclotur com Acampamento Selvagem na Fazenda Moresco

A semana estava corrida e tuto ficou pronto bem em cima da hora para o Ciclotur do final de semana que partiria no sábado pela manhã. A bike não está 100%, mas uma limpeza rápida na corrente, lubrificação, calibração de pneus e suspensões já a deixam a ponta de bola para mais um cicloturismo no estilo BikePacking.

Bike pronta e carregada para viagem!

Já havia feitos alguns testes com a SeatBag da Aresta nas últimas viagens, foram necessários alguns ajustes de tamanho e no posicionamento das fitas de compreensão no produto. Recebi a bolsa “atualizada” poucos dias antes e o teste de uso seria na prática desta vez, já que seria pouco provável acontecer algum problema mais sério já que os outros testes havia sido bem sucedidos.

        

A HandlebarBag que utilizo é da marca Revelated que na verdade é apenas um suporte e as coisas vão dentro de um saco estanque da Sea to summit, para garantir a impermeabilidade. Como opcional a Aresta produziu um pequena bolsa dianteira adicional para que eu coloque ali os itens de alcance rápido.

Neste checklist você encontra detalhadamente o que levei para esta viagem, sendo que ficaram distribuídas da seguinte maneira:
HandleBarBag: Barraca Completa e Proteção Isolante;
HandleBarBag – Bolsa Adicional: Ferramentas e Eletrônicos;
Bolsa de Tubo Superior: Lanche de Ida e Volta;
Mochila: Água, Saco de Dormir, Fleece, Jaqueta, Chinelo, Itens de Higiene e Itens Diversos;
Bolsa de Selim: Roupas, Isolante, Itens de Cozinha e Camping.

Acordei cedo no sábado, a bike já estava toda pronta na sala sendo necessário apenas se “fantasiar” de ciclista, colocar a mochila nas costas e partir. Encontrei o Gustavo no caminho e seguimos até a BigBen Idiomas para encontrar o restante do pessoal, já que este passeio era um evento do Puma Aventura. Pois após partir, a bicicleta do Gustavo deu um barulho forte, paramos para conferir e observamos que um raio da roda traseira havia estourado, um problema que já havia ocorrido em outra viagem. Bastante aborrecido, ele resolveu abortar a viagem enquanto segui em frente para encontrar o pessoal.

O percurso inicial a ser percorrido era até o Morro Santo Antonio na Guabiruba, mas precisamente no Restaurante Lá nas Trutas aonde faríamos uma parada e lanche. Para chegar até neste local você pode utilizar a seguinte trilha.

Chegamos cedo nas Trutas, pelos menos 2 horas antes da previsão planejada. Talvez pela baixa quantidade de pessoas que foram de bike, já que existia a opção de fazer o Hiking, ou pelo pedal ter rendido legal, efeito do clima bom que estava fazendo no dia.

Deu-se uma enrolada, tomou-se um guaco para esquentar, pedimos uma porção de truta frita para o almoço e ao invés de esperar até as 13:30, horário marcado para o encontro com o pessoal que iria a pé, seguimos adiante o percurso para antecipar a localização de onde faríamos o acampamento.

Retornarmos um pequeno trecho até na bifurcação e a partir daquele ponto a trilha começou a apresentar maiores dificuldades técnicas com inclinação maior e cascalho no percurso. A partir deste ponto a estrada fica mais estreita e preservada já que o acesso raramente é realizado de carro.

Após um pedal com belo visual, chegamos no local de acampamento dentro da Fazenda Moresco. O local escolhido foi o topo de um morro com vista para o Carneiro Branco, Faxinal do Boss, Santo Antônio e Vale do Rio Cristalina. Carregamos as bikes por alguns metros morro acima, ajustamos tudo o que era preciso e montamos as barracas.

Pouco tempo depois o pessoal do Hiking já chegou, todos montamos o acampamento e curtimos o final de tarde com um clima frio. Recolhemos algumas madeiras cortadas próximo ao local, fizeram um banco para maior conforto do pessoal, ligamos uma música e curtimos bastante.

 

 

Para o jantar, enquanto Matheus preparou um mignon com legumes, o Ivan algumas Calabresas de petisco, o Murilo disponibilizou algumas fatias de bacon e queijo para aperitivo, eu preparei um risoto de mini calabresa sadia. Foram 2 xícaras de arroz branco, 2 tabletes de caldo knorr, 500gr de calabresa e 1 unidade pequena de creme cheease (aqueles disponibilizados no café da manhã em restaurantes) para dar uma cara mais bonita. Tirando o excesso de consumo de água que é necessário para cozinhar o arroz, é uma excelente opção salgada para o jantar e que não demanda de muito preparo e repõe principal o sal no organismo.

A noite foi bem tranquila e foi possível dormir tranquilamente e confortavelmente, embora tenha feito falta um céu estrelado. Acordamos cedo, tomamos um café da manhã feito com café solúvel, comi algumas fatias de pão sem glúten com doce de leite e começamos a “levantar” acampamento, recolhendo todos os itens e desmontando as barracas.

Fizemos um retorno tranquilo para casa, aproveitando a longa descida e que também proporcionou um bom testes para o SeatBag da Aresta, já que foi o momento mais intenso de uso da suspensão traseira e mesmo sendo cicloturismo, não aliviei na descida.

Confira as fotos do passeio.

Atividade do Strava: